Sobre Mim

Me chamo Marcelo Cavalcante Rocha, também conhecido como Kalib, e sou militante do Software Livre desde 2005. Formado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Governança de Tecnologia da Informação, trabalho com administração de redes, DevOps e segurança da informação em ambientes mistos.

Caso deseje me contactar, sinta-se livre e envie um email para marcelo neste(@) mesmo domínio. Também estou constantemente online no IRC como kalib, através da rede Freenode, nos canais #archlinux, #archlinux-br, #french e #mlug. Além disto, você pode simplesmente deixar um comentário aqui mesmo no site/blog.

Para maiores detalhes profissionais, acesse meu perfil no linkedin clicando aqui.



Lado geek

Apaixonado por tecnologia em geral dificilmente me contento com o porque das coisas, buscando sempre entender o porque do porque.

Sempre gostei de computadores. Os primeiros contatos começaram ainda na infância, quando as telas pretas reinavam de maneira absoluta entre os computadores. Gostei dos antigos tutoriais que baixava para praticar alguns comandos e decidi instalar Linux (Slackware, na ocasião) em minha primeira máquina. Eu estava impressionado (e continuo) quando descobri como a Comunidade Open Source (Código Aberto) trabalhava compartilhando códigos, documentações, ajuda online, etc. Não muito tempo depois passei a buscar maior aprendizado para também contribuir e compartilhar.

Aprender a ciência da computação é, de certa maneira, muito único e original. Embora assim como para outras habilidades e conhecimentos, você precise de ambas, teoria e prática, você pode conseguir ambas por conta própria com praticamente nehum custo além de tempo, boa documentação e um velho computador.

Diferentemente da maioria dos geeks, nunca gostei muito de jogos, seja em vídeo-games ou em PCs, pois acreditava que a parte mais divertida destes sempre se encontrava por baixo dos personagens e cenários. Apesar de não trabalhar profissionalmente com programação, sempre gostei desta área para automatizar tarefas no meu dia-a-dia. Dentre minhas linguagens favoritas destaco: C++, Python e Ruby. Profissionalmente, prefiro atuar com infra-estrutura, com foco maior em redes e segurança da informação.

Possuo algumas certificações internacionais como LPI-C3, Novell CLA, ITIL V3 e CSM. Pretendo aumentar esta lista em breve.

Como militante do movimento de Software Livre, sempre busquei participar de, ou mesmo criar, diversos projetos do ramo. Dentre estes projetos, destaco: Tux-CE, MLUG, TLUG, KDE-BR, Archlinux-BR, Python-CE, Guru-CE, Debian, etc.



Esportes

Esportes não formam o caráter. Revelam-no. (Heywood Broun)

Desde a infância um tanto quanto hiperativo, fui encorajado (para não dizer obrigado) desde cedo por meus pais a gastar energia fora de casa. Ainda muito novo comecei a praticar natação. Após alguns anos e algumas competições, passei para o futebol, voley, basquete, etc. Ainda pratico, apesar de que com menor frequência, todos estes e os acompanho pela televisão. Sou apaixonado por Basquete, especialmente pela liga NBA, tendo os Raptors como minha equipe favorita. Andei de skate durante alguns anos e foi quando, influenciado por primos, troquei a prancha do asfalto pela prancha do mar. Sou grato a eles até hoje por me terem apresentado uma das maiores paixões de minha vida. Comecei a surfar ainda no início da adolescência e o esporte me cativa e apaixona até os dias atuais. Mais que um simples passatempo, o mar e as ondas são meus terapeutas. Minhas pranchas são minhas amantes (que minha noiva me perdoe…). Neste meio tempo pratiquei algumas lutas e artes-marciais, inclusive lutei em algumas competições. Dentre elas destaco Taekwondo, Kung-Fu, Capoeira e Boxe.



Livros

Livros… Livros… Livros…

Acompanhados de uma taça de um bom Cabernet Sauvignon, Chadonnay ou Malbec, por favor…



Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem. (Mario Qintana)

Sempre fui fascinado pela habilidade (porque não dizer mágica) com que escritores conseguem transportar tamanha quantia de detalhes de suas mentes diretamente para as páginas de um livro. Seja ele um simples conto cotidiano ou a mais surreal das fantasias ou ficções, sempre me entendi melhor com livros do que com a programação da TV. A riqueza descritiva de autores como Michael Scott, Collete Freedman, Tess Gerritsen, Stephen King, Justin Cronin, Rafael Abalos, Peter Straub, sem citar outros, é sem sombra de dúvidas algo que me prende e faz passar o tempo.

o.O E Tolkien? O fato de eu não ter incluído John Ronald Reuel Tolkien na lista acima não tira seu mérito. (Senhor dos Anéis. Preciso falar algo mais?) Apenas achei que não seria justo de minha parte inserir Tolkien no mesmo parágrafo, da mesma forma que seus livros me cativaram de forma diferente se comparado aos demais. A escrita de Tolkien é brilhante e, se você for corajoso e persistente o suficiente para encarar as primeiras 200 páginas de qualquer um de seus livros, você logo passa a ser transportado para um novo mundo.

Para os que ficaram curiosos com a foto, trata-se do Tux, meu cão labrador, com quem corro e/ou caminho diariamente.



Ḿúsica

Em termos de música, não sei bem como definir meu estilo, visto que escuto diversos estilos distintos mas, para mim, Pink Floyd continua incomparável, entre qualquer banda de qualquer estilo. Eu também sou um grande fã de Metallica e escuto clássicos como Bob Marley, Led Zeppelin, Black Sabbath, The Doors, Jimi Hendrix, Chico Buarque, Raul Seixas, etc. Nos dias atuais eu poderia listar Blind Guardian, Chevelle, Epica, Foo Fighters, Fenix TX, Hammerfall, Korn, Mae, Millencolin, NOFX, Over It, Papa Roach, POD, etc.

Comments