Kubuntu 8.04 - Minhas Primeiras Impressões

| Comments

Assim que saiu o Kubuntu 8.04 oficialmente, corri para baixar a iso antes mesmo de ser divulgado no site oficial como forma de evitar pegar uma banda completamente congestionada por centenas de pessoas baixando o mesmo arquivo na mesma fonte. Sim, existem algumas vantagens em se fazer parte das listas de discussão, desenvolvimento e debugs. :p

Bom, apenas consegui tempo para instalar de fato, na madrugada de domingo/segunda pois o fim de semana foi muito corrido e tornou-se impossível realizar esta tarefa que há tanto tempo eu esperava. Porque tamanha espera? Digamos que as versões anteriores do Kubuntu não me deixaram satisfeito por questões de incompatibilidades com minha placa de áudio e como consequência tive de me manter na versão 6.06 até antes de ontem.

Deixando de blablabla vamos ao que interessa.

Logo ao dar boot no live cd do kubuntu 8.04, desde sua primeira beta test, pude constatar que haviam melhorias com relação ao reconhecimento de meu hardware. Tudo havia sido reconhecido automaticamente, desde minha placa de áudio ATI até meu dispositivo wireless da Atheros.

Desde então estive numa espera pela release final, porém sempre baixando as versões beta bem como alpha para testes e ajudar com alguns bugs que por ventura eu viesse a encontrar.

Logo que instalei a versão final nesta madrugada, parti para a instalação de alguns pacotes básicos de sobrevivência como o firefox por exemplo. Minha surpresa aqui foi em ver que nos repositórios havia a raposa em sua versão beta 3.0 como padrão. o.O Apesar do susto que levei em ver o kubuntu trazendo por default uma versão beta, fiquei animado em poder testá-la já que ainda não havia encontrado tempo para isso. Instalei e pude ver claras melhorias em relação às demais versões de nossa raposa de fogo. Sem grandes dificuldades consegui instalar os plugins de java e flash, já que esta versão do firefox ainda não consegue instalar automaticamente.

Fui aidiconando alguns outros aplicativos que uso no meu dia-a-dia como o amsn, em sua versão 0.98, thunderbird, xchat, yakuake, kooldock, eclipse, dia, gimp, jsms, etc…

Tudo funcionando redondinho e com uma performance bastante estável. A única coisa que pesou um pouco a nível de memória foi ao instalar o compiz e adicionar alguns efeitos, porém admito que nunca curti essas “frescuras” e instalei apenas a nível de teste, já que até a versão 7.10, o kubuntu não conseguia reconhecer minha placa de vídeo por default. Fiquei surpreso como até nisso ele se saiu bem. Reconheceu minha placa, instalou automaticamente o driver e o compiz juntamente. Em poucos segundos eu estava com os efeitos do compiz habilitados. Porém minha máquina é modesta e isso pesou um pouco para mim no quesito memória. Mas como disse antes, nunca fui fã dessas “frescuras” e logo desabilitei o compiz deixando novamente meu notebook respirar.

Vou seguindo com meu segundo dia de testes no kubuntu 8.04 e veremos no que essa parceria kalib/kubuntu vai dar. ;]

Comments