Santa Catarina Precisa De Você

| Comments

Olá pessoal..

Não é hora de postar sobre Software Livre ou Tecnologia como um todo. Gostaria de dedicar este post ao cenário que estamos presenciando em Santa Catarina, ou melhor, NO BRASIL.

Em momentos como este pode parecer fácil dar às costas por não estar acontecendo em seu Estado, porém é em seu PAÍS. O seu país pede sua ajuda e você pode colaborar.

Segue um trexo de um post que achei de uma catarinese, sobre a visão dela em relação ao que anda acontecendo e sobre como a mídia está abordando o assunto.

Para quem não sabe, eu sou catarinense, mais precisamente de Blumenau. Para quem andou em Marte nos últimos dias e não viu a tragédia que se abalou sobre o nosso estado, não se preocupe, a mídia não está repassando todas as informações então você não está tão alienado quanto pensa.

O fato é seguinte: a situação não é apenas calamitosa, é desesperadora.

Eu vejo na televisão eles falarem “enchente”, “enchente”, “enchente”, o que aconteceu aqui não foi apenas uma enchente. As enchentes do Vale do Itajaí acontecem quando as chuvas enchem o Vale à partir dos munícipios de Taió e Rio do Sul. Então o sistema de contenção de cheias é ativado e as barragens localizadas nesses municipíos são fechadas, impedindo que a água venha toda de uma vez e inunde as cidades abaixo.

Desta vez não houve chuva em Taió e Rio do Sul. Foi apenas uma enorme chuva na região de Blumenau, Gaspar, Luis Alves e Rodeio. Tanta chuva (900 milímetros) que o rio não conseguiu dar vazão para as águas que desciam dos morros e encheu 11,9 metros.

Teria sido apenas uma enxurrada com enchente que afetaria algumas pessoas se não fosse um detalhe: chovia em SC desde agosto praticamente todos os dias. Quem me conhece sabe como eu reclamava disso e inclusive colocava nos posts aqui do LJ “Chuvamenau”.

Tanta chuva já tinha deixado o solo enxarcado. Aqui entra a questão geográfica que as televisões e grandes sites da internet não são capazes de compreender. Como o nome diz: Vale do Itajaí é um vale (ohhhh), ou seja, como um vale é cercado de morros por todos os lados (ohhhh) vide uma vista de Blumenau AQUI. Como se pode ver pela foto: há morros. Muitos morros. A cidade inteira é repleta de morros. Você necessariamente tem que passar de um morro a outro, e a outro, e a outro para chegar em algum lugar.

Acontece que com tanta chuva (desde agosto) estes morros estão caindo. Todos eles estão desabando, derretendo feito sorvete em dia de verão de 40ºC. Não há um morro sequer sem deslizamento de terras. A maioria destes morros NÃO sofreram ocupação irregular como a mídia diz. Claro que um e outro sofria desse mal, mas na maioria deles as casas estavam legalizadas, eram terrenos seguros.

Tenho conhecidos que perderam tudo. Simplesmente tudo. A casa virou gravetos no chão junto com toda a mobília e o terreno. Nem o terreno ficou.

Tem morros sendo completamente interditados porque possuem rachaduras do topo até a base, estão cortados ao meio. A cidade está de fato desabando sobre nossas cabeças. Tem pessoas isoladas devido as quedas de barreiras. Uma das quatro estações de tratamento de água da cidade está sobterrada e o número de mortos divulgados não é o verdadeiro, eles estão omitindo mortes para não aumentar o pânico que se instaurou na cidade.

A situação de fato é de pânico.

Principalmente porque não há previsão de que pare de chover.

Santa Catarina pede ajuda, mas nem sabe por onde começar, o que fazer se tudo começa a desabar ao seu redor? O que fazer quando você sai da sua rua e vê dezenas de famílias descendo um dos morros, carregando tudo o que podem para um abrigo porque a Defesa Civil simplesmente diz que “O local está totalmente condenado”. O que fazer quando as pessoas neste abrigo tem que sair de lá porque até o abrigo passou a estar condenado?

As lágrimas caem de pesar pela dor das pessoas que perderam tudo, pela dor das pessoas que perderam entes queridos e principalmente, pela dor das pessoas que não conseguem encontrar seus famíliares. Vinte mortos? Saber que uma mulher necessita enterrar seu próprio marido pois está isolada e o corpo apodrecendo ao seu lado.E eles dizem vinte mortos.

Dezenove desaparecidos? É o que dizem os números oficiais, mas uma hora ouvindo a rádio local com pessoas pedindo pelo amor de Deus por notícias de seus famíliares para você entender que não há apenas dezenove desaparecidos.

Os geólogos que chegaram do Rio de Janeiro dizem que simplesmente o solo do estado está se desmanchando e que nunca viram nada igual.

Por favor, alguém diga-nos onde encontrar esperança numa situação como esta.

O que fazer quando você vê que tudo está, de fato, caindo. As casas ao redor caindo, as casas de amigos caindo, a bela Beira-rio caindo, o shopping caindo.

Se alguém souber de onde tirar forças para reconstruir uma cidade neste estado, por favor, Santa Catarina agradece porque ninguém sabe o que fazer.

Você pode sim colaborar!

A Defesa Civil de Santa Catarina está recebendo doações em dinheiro para ajudar as pessoas atingidas pelas chuvas dos últimos dias no Estado. Nesta segunda-feira, foram abertas duas contas bancárias. Os interessados em contribuir com qualquer quantia podem depositar o valor no Banco do Brasil (BB), agência 3582-3, conta corrente 80.000-7; ou na conta corrente 80.000-0, agência 068-0, do Banco do Estado de Santa Catarina (Besc). O depósito deve ser creditado ao Fundo Estadual de Defesa Civil-Doações. O CNPJ da Defesa Civil é 04.426.883/0001-57. De acordo com a Defesa Civil, todo o dinheiro arrecadado será utilizado na compra de mantimentos para os atingidos pela enchente.

Segue link: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2306293.xml

Comments