Software Livre - Dar Ou Servir?

| Comments

À primeira vista, dar e servir parecem ser a mesma coisa. Em ambas as opções estamos abrindo mão de algo e entregando a alguém, porém existe uma sutil, porém importante, diferença entre estas duas palavras. Aqui irei abordar esta diferença explicando um pouco da filosofia do Software Livre.

Tenho plena certeza de que não sou o único a já ter sido bombardeado com perguntas tais como:

* Porque perder horas desenvolvendo um software e em seguida liberar o código do mesmo?

_ * Qual o sentido existente em perder horas do seu dia traduzindo ou escrevendo documentações?_

_ * O que se ganha trabalhando gratuitamente em eventos e/ou projetos de Software Livre?_

_ * Se o mundo é capitalista, como você poderá pagar as suas contas agindo desta forma?_

_ * De que te vale tudo isso se você perdeu horas estudando para adquirir este conhecimento?_

_ Etc…_

Antes de respondermos estas perguntas vamos relembrar como nasceu o Linux, um dos maiores exemplos de Software Livre existente.

Originalmente, o kernel Linux foi escrito pelo finlandês Linus Torvalds. Torvalds era do departamento de Computação da Universidade de Helsinki, na Finlândia, onde começou seus estudos em computação e teve seu primeiro contato com o mundo UNIX. A ideia nasceu em cima de sua curiosidade no Sistema Operacional Minix criado por Andrew Tanenbaum, já que era caro para se ter um UNIX em casa e trabalhar em cima do mesmo. O Minix não atendia todas as necessidades de Torvalds, e por isso o mesmo começou a trabalhar em um kernel novo. Foi quando lançou um convite em forma de email na internet:

Você suspira pelos bons tempos do Minix-1.1, quando os homens eram homens e escreviam seus próprios “device drivers”? Você está sem um bom projecto em mãos e está desejando trabalhar num S.O. que você possa modificar de acordo com as suas necessidades? Está achando frustrante quando tudo funciona no Minix? Chega de noite ao computador para conseguir que os programas funcionem? Então esta mensagem pode ser exatamente para você.

Como eu mencionei há um mês atrás, estou trabalhando numa versão independente de um S.O. similar ao Minix para computadores AT-386. Ele está, finalmente, próximo do estado em que poderá ser utilizado (embora possa não ser o que você está esperando), e eu estou disposto a disponibilizar o código-fonte para ampla distribuição. Ele está na versão 0.02… contudo eu tive sucesso ao executar bash, gcc, gnu-make, gnu-sed, compressão, etc. Nele.

Em poucas horas Linus já havia recebido respostas de vários programadores com interesse em ajudar no desenvolvimento do SO que viria a ser o Linux como o conhecemos hoje. Daí pra frente muita coisa rolou com o código do mesmo sendo livremente compartilhado e distribuído para constantes modificações e implementações, bem como continua sendo hoje em sua constante evolução.

O Linux é, ainda nos dias de hoje, um dos maiores símbolos do Software Livre e sua filosofia que se baseia no compartilhamento livre de informações. Afinal de contas, Linus Torvalds com esta sua grandiosa colaboração ao mundo, deu ou serviu?

Gosto de acreditar que Torvalds contribuiu com um movimento que foi e continua sendo responsável por uma mudança de mentalidade em muitas Empresas, Entidades, Governos e Comunidades quando se trata de colaboração, conhecimento e principalmente Tecnologia da Informação. Não gosto de ver Torvalds como alguém que deu algo ao mundo, mas sim como alguém que serviu a um propósito, já que o mesmo começou e incentivou milhares de pessoas a trabalharem em um sistema operacional livre que na época não se imaginava com um futuro tão promissor.

Aproveitando estes argumentos, respondo as perguntas que me foram feitas anteriormente. Não DOU meu tempo. Eu o SIRVO!

Hoje eu trabalho, estudo e desempenho atividades extras em projetos relacionados a Software Livre. Para ter um emprego, eu preciso ter alguma habilidade ou conhecimento necessário à alguém. Pode ser difícil acreditar, mas cerca de 60% de meu conhecimento em Linux ou tecnologia em geral, foi adquirido de forma livre e gratuita. Os mesmos dados são válidos para a grande maioria dos profissionais da área. Uma grande característica dos entusiastas do Software Livre é justamente a disposição para compartilhar o conhecimento de forma livre. Expondo nossas ideias e experiências em forma de artigos, postagens na internet ou mesmo outros meios, garantimos assim a rápida disseminação daquela informação que com certeza será a dúvida de outra pessoa que estará em seguida repassando o conhecimento adquirido com aquela colaboração.

De tanto sugar conhecimento livre, passamos a sentir prazer em retribuir tudo isto. E é aí que entram as respostas para as perguntas anteriores. Não é perdendo meu tempo, mas sim utilizando-o de forma a retribuir de todas as formas por tudo que a comunidade já fez por mim durante minha jornada de contínuo aprendizado, bem como pelo que ela ainda fará na continuação desta constante evolução.

Acho que está clara a diferença entre as duas palavras: Dar e Servir. O importante aqui não é dar o conhecimento, mas servi-lo de forma a manter o equilíbrio contínuo do mesmo atingindo o máximo de pessoas que pudermos atingir utilizando da mesma forma o máximo de meios possíveis, seja através da internet, televisão, rádio, cartazes, eventos, projetos filantrópicos, etc…

Não me sinto na obrigação de retribuir das formas citadas, mas sinto prazer e satisfação em escrever apostilas, artigos, tirar dúvidas, traduzir documentações ou mesmo ministrar aulas de forma a disseminar a filosofia do compartilhamento livre de conhecimento. Vejo isto como uma ação multiplicadora e se de cada 10 pessoas para quem eu sirva informações, 1 disseminar o que recebeu, já fico com a nobre sensação de dever cumprido.

Espero que cada vez mais esta filosofia esteja enraizada em nossa comunidade. Viva a Liberdade. Viva a inclusão social e digital.

Comments